Conheça o sistema de BRT do Rio de Janeiro

O transporte público no formato BRT (Bus Rapid Transit) vem se tornando popular em várias cidades do mundo, pois demonstra muita eficiência no transporte de passageiros dentro das cidades. No Brasil não é diferente, e com a realização de grandes eventos mundiais como a Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016, as apostas e investimentos nos sistemas de BRT são tendências pelo país. O Rio de Janeiro, que além de ter sediado alguns jogos da Copa do Mundo, sediará os Jogos Olímpicos, e já está investindo alto no sistema BRT.

– Afinal, o que é BRT? -> Como foi dito no começo, BRT é a sigla paraBus Rapid Transit, que numa tradução aberta significa Tráfego Rápido de Ônibus, e nada mais é que um sistema de transporte coletivo com ônibus longos(articulados ou bi-articulados), ou em alguns casos convencionais, que trafeguem por uma faixa exclusiva separados do restante do trânsito. É um sistema de transporte eficiente, de fácil implantação e mais barato do que uma implantação de um metrô por exemplo. Algumas cidades no Brasil já possuem sistemas de BRT, e várias estão em obras como o BRT carioca que falaremos aqui. Vale salientar que o primeiro BRT brasileiro foi o de Curitiba, no Paraná, que foi implantado entre os anos 70 e 80.

BRT operando no Paraná.

– Introdução sobre o BRT carioca -> O sistema de BRT da Cidade Maravilhosa contará com quatro corredores, sendo eles: Transcarioca, Transbrasil, Transolímpica e o Transoeste. Dois já estão em operação e os outros dois devem entrar em operação em 2016.

Transoeste

O corredor de BRT Transoeste é responsável pela ligação da zona oeste (Santa Cruz e Campo Grande) com a Barra da Tijuca. É composto de 57 estações e seis linhas em toda sua extensão, sendo duas dessas ligando o Terminal Santa Cruz ao Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca.

As duas linhas que farão o trajeto Santa Cruz X Alvorada serão divididas em Parador (parando em todas as 31 estações) e Expresso (parando em apenas 11 das 31 estações). Treze dessas estações irão funcionar 24 horas por dia, enquanto dezoito delas funcionarão das 5 horas da manhã até 1 hora da madrugada. Para facilitar para a população, a Rio Ônibus fixou dentro dos ônibus, que farão o trajeto expresso e parador, o mapa com o nome das estações:

As estações do Transoeste . Contam com monitores LCD informando horários dos próximos ônibus, cadeiras, seguranças, bilheterias, funcionários para auxiliar passageiros. Contam também com toda a acessibilidade para portadores de necessidades especiais.

Os ônibus não possuem cobradores, que serão remanejados para bilheteiros nas estações. Assim como não possuem cobrador, também não possuem catracas nos ônibus, já que o pagamento da tarifa será feito antecipadamente nas próprias bilheterias das estações. Chegando o ônibus, basta embarcar, facilitando e implantando mais agilidade nas viagens.

Para chegar nas estações e corredores principais, existem as linhas alimentadoras, deslocando a população para o corredor de BRT para o embarque na linha troncal, que é o nome correto do apelidado ligeirão. Para facilitar mais para os usuários cariocas, as linhas alimentadores terão o “A” logo após o código da linha, ficando por exemplo a linha “123A – Exemplo / Terminal Alvorada”, onde o “A” no final do número da linha significa “Alimentadora”.

Transcarioca

Inaugurado em 1° de junho de 2014, o maior corredor de BRT da capital fluminense até então, ligando a Barra da Tijuca à Ilha do Governador, atravessando 47 estações e 27 bairros em 39 km de extensão, sendo o primeiro corredor de ônibus a cortar a cidade transversalmente. Grandioso, o corredor Transcarioca foi construído em duas etapas: do Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca, até a Penha; e da Penha até o Galeão, sendo o terminal no Aeroporto Internacional Tom Jobim.

Entre a Barra da Tijuca e o Galeão São transportados diariamente 320 mil passageiros, em veículos que possuem 90 cm acima do chão e com capacidade para 180 passageiros que cortarão esses 27 bairros:

  • Jacarepaguá
  • Curicica
  • Cidade de Deus
  • Taquara
  • Tanque
  • Praça Seca
  • Campinho
  • Madureira
  • Vaz Lobo
  • Vicente de Carvalho
  • Vila da Penha
  • Vila Kosmos
  • Brás de Pina
  • Penha Circular
  • Penha
  • Olaria
  • Ramos
  • Complexo do Alemão
  • Maré
  • Fundão
  • Galeão.

Obras impactantes de infraestrutura mudaram a cara da cidade. Várias pontes e mergulhões foram criados em diversos bairros da cidade que além de auxiliar no deslocamento do BRT Transcarioca pela cidade, ajudaram a desafogar o trânsito em bairros como Barra da Tijuca e Jacarepaguá. Foram construídos três mergulhões, nove pontes,10 viadutos, além das duplicações de vias e urbanização de áreas aonde o BRT Transcarioca. Conheçam algumas dessas intervenções:

  • Ponte Prefeito Pereira Passos, na Ilha do Governador
  • Viaduto Renatinho Partideiro, em Ramos
  • Arco Prefeito Pedro Ernesto, que cruza a avenida Brasil

Mergulhão Clara Nunes, em Campinho, primeira obra a ser concluída, antes mesmo da inauguração do corredor, o mergulhão mudou radicalmente, e para melhor, o trânsito na região.

Interior de uma estação do BRT Transcarioca.

Confira os serviços do BRT Transcarioca:

Alvorada x Galeão – Semi-Direto(24 horas)

Alvorada x Fundão – Expresso

Alvorada x Madureira – Parador

Alvorada x Madureira – Expresso

Madureira x Fundão – Parador

Alvorada x Fundão – Parador(roda no intervalo entre 23 e 5 da manhã substituindo todos os outros serviços, exceto o Alvorada x Galeão).
Penha x Santa Efigênia(Jacarepaguá) – Expresso(Só roda no rush).

Penha x Alvorada – Semi Direto(Só roda no rush).

O serviço Semi-Direto atende as seguintes estações: Alvorada, Madureira(Manaceia), Vicente de Carvalho, Penha(no caso do Penha x Alvorada) e Fundão(no caso do Alvorada x Galeão).

O serviço Expresso atende as seguintes estações: Alvorada, Rio 2, Santa Efigênia, Taquara, Tanque, Praça Seca, Campinho(no caso do Fundão Expresso) Madureira(Manaceia), Mercadão(no caso do Fundão Expresso), Vicente de Carvalho, Penha e Santa Luzia.

Operadores do sistema BRT

O sistema BRT é operado pela empresas de ônibus que tiveram as linhas cortadas e/ou reduzidas por conta do BRT.

São 15 empresas(Paranapuan, Barra, Translitoral, Caprichosa Futuro, Santa Maria, Real, Três Amgos, Redentor, Tijuca, Campo Grande, Bangu, Jabour, Pégaso e Algarve) que se juntaram para criar o “Consórcio BRT”, que qualifica qualquer empresa para operar em qualquer corredor.

Transportes Paranapuan(103xx – 7 carros)

Transportes Barra(134xx – 21 carros)

Translitoral(C220xx – 28 carros)

Caprichosa Auto Ônibus(271xx – 7 carros)

Transportes Futuro(305xx – 34 carros).

Transportes Santa Maria(398xx – 36 carros)

Real Auto Ônibus(414xx – 3 carros + 1 de teste)

Auto Viação Três Amigos(447xx – 15 carros)

Viação Redentor(470xx – 18 carros)

Auto Viação Tijuca(Tijuquinha)(503xx – 3 carros)

Transportes Campo Grande(536xx – 2 carros)

Auto Viação Bangu(586xx – 2 carros)

Auto Viação Jabour(868xx – 68 carros)

Expresso Pégaso(875xx – 97 carros)

Empresa de Viação Algarve(906xx – 25 carros)

Curiosidades sobre a frota:

  1. A Tijuca tem 3 carros. Os três são diferentes(Um Mega BRT, um Viale BRT O-500MA e um Viale O-500MDA).
  2. Só há 3 Mascarellos no sistema: Um da Santa Maria e dois da Campo Grande. O da Santa Maria é o único articulado.
  3. Dois veículos pegaram fogo totalmente: 90613(incendiado na estação Vila Paciência em uma manifestação) e 47006 que bateu de frente com um taxi na Ilha do Fundão).
  4. Toda a frota da Pégaso é composta por Neobus Mega BRT, exceto o carro 87576 que é um Millennium. O 87576 já foi um Mega, mas teve perda total em um acidente.
  5. Só há 2 bi articulados no sistema: O Viale BRT 22047 da Translitoral e 0 Mega BRT 47016 da Redentor. Apesar de serem de empresas predominantes no Transcarioca, esses só rodam no Transoeste, mais especificamente na linha Pingo d’água x Alvorada.
  6. Jabour e Pégaso tem todas as variedades de chassi Mercedes-Benz com a mesma carroceria(O-500 M, MA e MDA).
  7. Jabour, Pégaso e Tijuca não rodam no Transcarioca. Três Amigos, Caprichosa e Paranapuan não rodam no Transoeste. Os articulados normais da Redentor também não costumam aparecer no Transoeste. Barra, Futuro, Santa Maria e Real costumam aparecer nos dois corredores. Bangu, Campo Grande e Algarve só tem tocos. Por isso não saem do Transoeste também.
  8. Tirando a Pégaso, que adquiriu o carro de demonstração da Caio, a única empresa que tem Caio no sistema é a Paranapuan.
  9. Tirando as 4 empresas de Jacarepaguá(Santa Maria, Redentor, Futuro e Barra) todas as outras empresas usam chassis Mercedes-Benz em sua frota.
  10. A ultima porta dos carros com chassi MDA não abre nas estações. Só no Terminal Alvorada.
Previous Article
Next Article

Um comentário em “Conheça o sistema de BRT do Rio de Janeiro”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

612 Comunicação

error: Este conteúdo é protegido.