Transportes Barra, do Grupo Redentor, adquire seminovos ex-Santo Antônio para suprir linhas da Bangu

Os seminovos da Transportes Santo Antônio ajudaram muitas empresas a diminuir a idade média de suas frotas e suprir necessidades. Agora quem adquire os ônibus seminovos da TSA é ela mesma: a Transportes Barra, do Grupo Redentor. Entenda porque o grupo teve que recorrer à compra de seminovos.

 photo B001.jpg

São cerca de 30 unidades, todas Marcopolo Torino encarroçadas sob o chassi OF-1722M, de fabricação 2011/12. Ainda restavam essas unidades na empresa, que já havia começado a vender frota Euro V. Ainda assim, as unidades vendidas foram ainda as últimas Euro 3 que restavam, com 3 portas, sendo a do meio equipada com elevador para cadeirantes da marca Foca.

A Barra está adaptando os ônibus, que originalmente vieram com embarque traseiro. A empresa vai converter os ônibus para a frente, lógico, porém com duas catracas na parte dianteira e sem cobrador.

O letreiro eletrônico lateral, que era posicionado à direita da porta traseira, foi transferido para a esquerda da porta dianteira. Além do letreiro lateral, os ônibus possuem ainda letreiros frontal, auxiliar e traseiro, todos da marca FRT. Os veículos possuíam auxiliar lonado na parte superior, porém a Barra removeu esses letreiros.

 photo B002.jpg

Os ônibus ainda aguardam os trâmites burocráticos – documentação e transferência – para rodar, não estando ainda aptos a tal. Quando concluídos os devidos trâmites, a Barra colocará os ônibus em circulação, prioritariamente para suprir as linhas que eram até então operadas pela Auto Viação Bangu.

Porque a Barra adquiriu esses ônibus?

Trata-se de uma emergência; a Transportes Barra assumiu as linhas que eram da Auto Viação Bangu, que encerrou suas atividades no início desse mês. O Grupo Redentor abrigou as linhas da empresa, sua garagem e seus funcionários, menos os ônibus da Bangu; praticamente nenhum deles está adequado aos padrões de trabalho do Grupo Redentor, que optou por adquirir e readequar frota.

Por um lado, a Barra vai se dedicando exclusivamente à Zona Oeste, transferindo as linhas que possui na Transcarioca para as demais empresas do Grupo Redentor – Redentor e Futuro. Nem isso pareceu o bastante para completar o número de ônibus suficientes para suprir o que a Bangu tinha.

 photo B003.jpg

Com isso, enquanto a Redentor adquire novos ônibus, os que ela for dando baixa são remanejados caso haja necessidade. Ainda assim, foi necessária a aquisição das unidades seminovas da Santo Antônio. Cabe lembrar que a Redentor trabalha com Marcopolo; as três empresas do grupo possuem unidades do Marcopolo Torino.

Apesar dos ônibus não possuírem ar condicionado – elemento obrigatório nos ônibus que forem sendo incluídos no sistema carioca -, foi compreendida a situação emergencial da aquisição, tendo esta sido liberada. Porém, os ônibus devem ficar o tempo suficiente até que a Barra adquira novos ônibus climatizados para as linhas que até então eram da Bangu.

Com a falência das empresas da Zona Oeste, fenômeno esse que ficou frequente em menos de um ano, a Transportes Barra assumiu a maioria das linhas das empresas que encerraram atividades, e transferindo outras para as demais empresas do Grupo Redentor, que se consolida como a segunda força do transporte carioca, alcançando o Grupo Guanabara.

 photo B004.jpg

Matéria/Texto: Josivandro Avelar
Fotos: Diego Almeida Araujo

Compartilhe este post
Previous Article
Next Article

Mais vistas do dia

Chegaram os F2400 da N.S. da Penha
Tj Turismo com novos DD's na frota
Jabour vem de Ideale
Viação Ideal renova a sua frota com Apache Vip

Instagram

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.