Santa Maria, a tradição chega ao fim

Após uma greve deflagrada na tarde desta terça-feira, a Rio Ônibus divulgou que a Transportes Santa Maria encerrou suas atividades na manhã desta quarta-feira (26/04), sendo a primeira empresa carioca a paralisar totalmente suas operações em 2017. Foram 53 anos de operações da empresa na região da Barra, Jacarepaguá e zona norte carioca.

Vários são os motivos que causaram tal fato, sendo os principais o corte de linhas, a crise federal e estadual, o atraso do pagamento dos quilômetros rodados e o congelamento das tarifas determinado pelo atual prefeito. Desde abril de 2015, foram seis as empresas de ônibus que encerraram as atividades na capital carioca e com o atual panorama, a tendência é que mais empresas de ônibus na cidade encerrem atividades.

História da empresa

A história da Santa Maria nos remete ao ano de 1952 aonde a empresa teve origem na empresa de lotação Avelino G. do Rego que operava a linha S-32 Taquara X Rio Grande. Posteriormente, veio à linha S-34 Taquara X Colônia e o prolongamento da S-32 até o Pau da Fome.

Finalmente em 1964, mais precisamente em 18 de setembro daquele ano, surge a Viação Santa Maria com sede na Estrada do Tindiba, número 2000, na Taquara.  Suas primeiras linhas foram a 762 Taquara X Colônia, 763 Taquara X Santa Maria e 764 Taquara X Pau da Fome.

Já no ano de 1967 a empresa passa a operar as linhas 249 Água Santa X Tiradentes, 747 Vargem Grande X Cascadura, e 749 Recreio X Cascadura. Em 1969 lança a linha 761 Taquara X Jardim Boiuna. Três anos mais tarde vem a 757 Camorim X Cascadura e em 1976 a 758 Camorim X Taquara (Circular).

Com a compra de parte da Transportes Choupal no final dos anos 70, a Santa Maria passa a operar as linhas 670 Méier X Valqueire, 736 Curicica X Cascadura, 737 Praça Seca X Bancários, 760 Madureira X Vila Taquara e 952 Penha X Praça Seca. Com a compra dessas linhas, vem à necessidade de uma garagem maior ficando assim com a garagem da Choupal na Estrada Rodrigues Caldas na Taquara.

Com a inauguração do Terminal Alvorada em setembro de 1981, a Santa Maria chega a Barra da Tijuca através da linha 706 Alvorada X Curicica primeira linha urbana a ligar a região do Curicica, Camorim e Riocentro a Barra da Tijuca. Anteriormente era feito pela linha 2113 Castelo X Taquara da Redentor.

No início dos anos 90, a Santa Maria passa a ser administrada pela Viação Nossa Senhora de Lourdes. Ambas tiveram o mesmo layout por certo tempo até quem em 1996 volta à administração de Armindo Valente.

Em 1990 surgem às linhas 708 Colônia X Alvorada via Autódromo, 758 Cascadura X Recreio Via Benvindo de Novaes, antiga variante da linha 749 e 759 Cafundá X Colônia. No mesmo ano chegam os primeiros monoblocos Mercedes-Benz O-371 para a Santa Maria que não duraram muito sendo substituídos três anos depois.

Em 1995 o transporte clandestino começa a atuar nas linhas da empresa, iniciando pelas linhas da Barra e posteriormente nos trajetos entre a Taquara, Vargem Grande e sub-bairros da Taquara.

No ano de 1996 surgem os “jacarezinhos” linhas especiais com tarifas diferenciadas operadas por micro-ônibus com pintura padronizada amarela com o desenho de um jacaré verde, no caso da linha da Santa Maria era a S-706 Alvorada X Taquara. Posteriormente vieram os “Capelinhas” que eram linhas que faziam o percurso das suas primeiras linhas partindo da Taquara para Santa Maria e depois para Vargem Grande, Boiuna, Colônia e Pau da Fome.

Em 1996 começa a chegar os primeiros ônibus da Marcopolo para empresa. Era Torino GV’s com chassi Mercedes-Benz OF-1318.


Visando coibir a ação indiscriminada do transporte clandestino nas linhas da Santa Maria, a empresa adquire várias unidades do mini ônibus Volare sendo distribuídos em suas linhas como 740, 763 e 952.

Em 1999 chegam os primeiros ônibus com ar condicionado da empresa. Foram 5 unidades do Caio Picollino com chassi Volkswagen 8-140. Também foram os primeiros ônibus com chassi Volkswagen da Santa Maria.

Em 2000 chega o primeiro lote de ônibus da encarroçadora gaúcha Neobus e como sempre os ônibus estrearam na 952.

No ano de 2007 a empresa inova e traz para a sua frota novidades em carroceria. Começou a era Mascarello na empresa e logo no primeiro pedido, outra novidade, vieram Mascarello Gran Via Midi montados sobre chassi Volkswagen 15.190 EOD. A empresa possuía chassi Volkswagen, porém somente em micro-ônibus.



No ano seguinte, são adquiridas 30 unidades de Mascarello Gran Via com chassi 17.230 EOD que foram direcionados para as linhas 757 e 758. Foi os últimos ônibus com motorização Volkswagen adquiridos pela empresa.

A última renovação de frota da empresa foi em 2011 quando veio cinco unidades de Gran Via com chassi Mercedes-Benz OF-1722M para a linha 758, uma das principais da empresa na época.



Em 2012 chega o seu primeiro BRT, um Mascarello Granmetro com chassi Volvo B12M. Filho único na empresa e na cidade.

Com o BRT Transcarioca, todas as linhas da empresa são cortadas. Mais 35 Viale BRT com chassi Volvo B340M chegam para compor a frota do corredor em 2014.

Com o corte das linhas, a empresa começa a ver seu faturamento despencar. Com o corredor Transolimpica, mais cortes em suas linhas foram feitos e a crise da empresa se agravou. Linhas foram repassadas para a Litoral Rio e a Auto Viação Tijuca entrou com dois veículos na 832.

Com os constantes atrasos no repasse do km rodado por parte da prefeitura para a empresa e recente congelamento da tarifa, a empresa não resistiu e sucumbiu nesta quarta-feira.

Compartilhe este post
Previous Article
Next Article

Mais vistas do dia

Conhecendo o CAIO Vitória - Noleto - 48098
Jabour vem de Ideale
Chegaram os F2400 da N.S. da Penha
Novos ônibus na frota da Vera Cruz

Instagram

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.